Sem fronteiras, traduza aqui! Translate here!

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

A MORTE NEM SEMPRE VEM COM AVISO PRÉVIO

Nem sempre a morte vem com aviso prévio, nem todo mundo vai morrer após uma doença, nem todo mundo vai morrer após escrever uma carta, nem todo mundo vai morrer após a expectativa de vida, algumas vezes a morte vem assim no choque, no susto, quando alguém está no auge, está completamente em cena, e quantas vezes não nos damos conta de que podemos perder alguém querido assim: no auge do teatro da sua vida, ou até mesmo você partir quando acabara de estreiar um filme, estar numa novela de sucesso, ou quando acabara de passar na faculdade, de se casar, de conseguir um emprego, acabara de ter um filho... 
Isso pode realmente acontecer, não nos preparamos, e não nos damos conta de quão incerta é nossa vida, do quão sorrateira pode ser a morte, e aí vamos continuando achando que quem amamos sempre vai estar lá a nossa espera, ou sempre vai voltar pela mesma porta que saiu, que os amigos sempre estarão lá, que as oportunidades de fazer as coisas acontecerem sempe existirão, mas não é assim queacontece... 
No automático da vida esquecemos do ponto morto da morte, e esquecemos do que só ela nos traz: a certeza de que um dia tudo isso "acaba", dos valores e significados que as pessoas e que a própria vida tem diante dela, e do quanto devemos valorizar cada segundo da nossa respiração e das de quem amamos.
Que a gente nunca deixe de fazer tudo sempre que puder porque pode ser que daqui há um segundo a gente não possa mais...
(Carina Silva)

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

AH SE EU TIVESSE

Ah se eu tivesse desistido de engatinhar nos primeiros tropeços, eu não teria aprendido a andar, se tivesse desistido de ler nos primeiros entraves não saberia o poder que as palavras tem...
Se eu tivesse desistido das amizades nas descobertas da falsidade eu nunca teria conhecido pessoas incríveis e diferenciado os que fazem realmente a diferença...
Se eu tivesse desistido de amar nas decepções amorosas não teria entendido a diferença entre amor, paixão e ilusão...
Ah se eu tivesse desistido nos nãos de vagas que eu tanto quis não teria descoberto o sabor da carreira, da profissão, e encontrado colegas maravilhosos de trabalho...
Se eu tivesse desistido da família quando alguns entes queridos deixaram de ser queridos não teria saboreado a dádiva de ter uma mãe, o apoio de um irmão, o colo de uma vó, o exemplo de um vô, o carinho dos tios...
Ah se eu tivesse desistido de percorrer certas rotas, não teria tido o prazer da viagem, dos encontros, das trocas, do conhecimento...
Ah se eu tivesse desistido da vida nos primeiros obstáculos, quanto teria perdido de ver o quanto ela vale a pena, quanto há de beleza em tudo que vivemos e vemos, mesmo quando tudo parece ser feio e sombrio...
Quando pensar em desistir do que quer que seja esteja certo que abrirá mão de coisas incríveis, nem tudo é belo, legal, incrível, prazeroso, divertido, mas são exatamente essas coisas que nos fazem diferenciar o que nos da paz, tranqulidade, leveza, alegria, plenitude...
Você já nasceu se superando e faz isso até hoje, então por quê desistir tão fácil assim?

(Carina Silva)

sábado, 10 de setembro de 2016

SIMPLESMENTE GOSTO

Gosto de gente que fala bora e não que fala vamos marcar, tenho preguiça de marcar, acho chato e geralmente o marcar nunca vem ou é cheio de protocolos ou previsivibilidades que pra quem se gosta são dispensáveis...
Gosto de gente que não fica falando e falando através do seu smartphone, mas sim daquela que fala to com saudade quero te ver: agora, e conversa por horas e horas pessoalmente...
Gosto de gente que não fica elogiando, elogiando, mas sim daquela que te elogia pelo olhar, que te faz se sentir querida pelo abraço, pelo beijo, pelo afeto em si...
Gosto de gente que escreve, mas que tem coerência com as atitudes, e que acima de tudo tenha atitudes, porque gente que fica falando, falando e não fazendo nada dá uma preguiça imensa...
Gosto de gente que topa ir, é exatamente isso: ir, não importando pra onde, que jeito, aquela que vai por você, pela companhia, e aquela que dá um jeito, porque quem quer fazer as coisas acontecerem sempre dá um jeito...
Gosto de gente que faz as coisas acontecerem, que se mexe, que provoca, que intriga, que briga, que fala, mas que se mostra viva, presente, gente que tem vida saindo pelos poros, gente que da gosto de conversar, gente que da gosto de estar perto...
Gosto de gente que goste de história, que tenha vínculo, que passe de um fim de semana, gente que tenha exclamações, reticências, mas não interrogações...
Gosto de gente bemmm gente, que chora, que ri, que se emociona, que arrepia, que sente, que vibra, que tá junto, que fala da vida, que vive, gosto de gente intensa, morno pra mim só a água do chuveiro, não gosto de gente morna, até gosto mas ficará distante, longe, porque pra perto a gente precisa de gente que vibre na mesma sintonia...
Fazer o que se o gosto é assim... é pedir muito?!

(Carina Silva)

O ACESSO COMEÇA PELO RESPEITO

Sobre a não transmissão das Paralímpiadas no canal aberto? Pra mim o erro começa quando já se divide Olimpíadas e Paralímpiadas, por que logotipo diferente, por que datas diferentes, por que tratativa diferente se queremos tratar todos iguais, se falamos tanto de inclusão? Não é um evento mundial então por que não ser obrigatória a transmissão em todos os canais assim como é o horário político? Por que o exemplo não começou de quem comanda esse país? Ok vão me falar que tem que ser separado porque tem uma tratativa especial ou uma série de questões das quais não tenho bagagem para falar, mas no dia-a-dia ninguém separa uma rua especial para um cadeirante passar, ele tem que enfrentar os buracos nas calçadas, ele tem que enfrentar o desrespeito de todas as partes... Como um deficiente visual atravessa uma rua? Como um cadeirante entra num ônibus quando se quer param para ele? Como quem usa muletas puxa a corda do ônibus para que esse pare? Como quem só tem as duas pernas tem que fazer para conseguir dignamente executar todas as tarefas diárias como um ser humano qualquer? Todos eles tem que se virar não é assim? Porque basta colocar um banheiro com a porta larga, e uma calçada nivelada com a rua, e pintar um logo de deficiente numa caga sempre ocupada por quem não precisa para achar que já fizeram o suficiente... Ou todo mundo acha que todo deficiente tem condiçõs financeiras para fazer carros adaptáveis, para fazerem casas adaptáveis, e eles não tem bancos, lotéricas, supermercados, escolas, creches, entretenimento adaptáveis... Afinal até isso a diferença é gritante, basta você olhar um cadeirante indo a uma balada, ou a um teatro, um cinema e as pessoas olham como: o que essa pessoas faz aqui, afinal ela é cadeirante por que se divertir não é? Por que um deficiente físico não pode escutar uma música, conhecer pessoas, se distrair, se ele não pode isso por que vão querer que o meu canal transmita ele fazendo esporte sendo que a minha novela que passa o exemplo de um monte de inversão de valores está passando todo mundo assiste e me rende uma nota preta, mas depois eu vou fazer um evento arrecar dinheiro e pedir a população que me ajude a fazer a inclusão social...
Essa lamentável atitude das emissoras de televisão é o reflexo do desrespeito diário que esses cidadãos enfrentam, eles que deveríam realmente não terem tratativa especial pois deveríam sim entrarem e saírem de qualquer lugar sem se sentirem especiais, sem precisar mendigar por atenção, ou por inclusão nas tamanhas dificuldades que enfrentam todos os dias, pois isso já deveria ser algo indescutível deveria ser condição básica terem sua dignidade garantida, é lamentável a gente ver a segregação, a diferença de tratativa.
Para você que assim como eu se sentiu triste e enojado com tal diferença e desrespeito, não deixe de incentivar, apoair, divulgar, assistir da maneira que pode esse evento tão digno, porque isso sim que eles fazem com todas as dificuldades e com tanta superação é um exemplo não só pra mim, pra você, como para o mundo, vamos espalhar o que realmente faz diferença nas nossas vidas e assistir o que vai fazer a gente olhar pra vida e ver o quanto somos capazes de tudo independente das limitações ou condições que nos impuserem. 
Velho não é o Chico, velha é essa atitude ultrapassada de direnciar o que é igual!

(Carina Silva)

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

VOCÊ SEMPRE PODE MAIS

O que é um ventinho para quem já passou por uma tempestade? O que é uma chama pra quem já enfrentou um incêndio? O que é uma marola para quem passou por um maremoto? Pois é quantas vezes nos esquecemos disso? Nos esquecemos que já enfrentamos situações muito maiores, problemas, obstáculos, e nos desesperamos com pequenas bobagens, ou com com pequenas dores, sofrimentos momentâneos, ou com alguma situação indesejada?
Quantas vezes sentimos nosso coração dilacerado e achamos que nunca será recomposto, ou então nossa moral lá embaixo, nossa autoestima sem estima alguma? Quantas vezes nos sentimos fracos, nos sentimos apunhalados, e tantas coisas ruins, e nos esquecemos dos guerreiros que já fomos, das fortalezas, das superações, dos desafios que já enfrentamos, das batalhas que vencemos, e dos sentimentos que já vivenciamos?
Lembre-se quando uma ventania passar, do tornado que já enfrentou! Nunca se esqueça quando achar que sua casa está caindo do furacão que já superou! Nessas horas esquecemos de tudo isso, mas é justamente nelas que precisamos resgatar na memória da nossa alma, da nossa experiência de vida as lições aprendidas, e então lidar de um novo jeito, de cabeça erguida, lidar como um sobrevivente, e nunca esquecer que somos capazes sempre de superar tudo, afinal o que são as pequenas bobagens pra quem já enfrentou a perda de um ente querido? Enfrentou uma traição? Enfrentou a perda de um emprego? Enfrentou uma doença grave? Enfrentou um amor não correspondido? Enfrentou um parto? Enfrentou o sofrimento de um filho? Tenho certeza que você já deve ter passado por algum desses ensinamentos, então tenha certeza que você é capaz de enfrentar tudo.
Quando pensar que já não pode mais, que não consegue mais, dê uma olhada no retrovisor da estrada da sua vida e veja o quanto caminho já percorreu!

(Carina Silva)

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

FÉ E MAIS NADA, ALIÁS COM FÉ SE TEM TUDO

Tem quem perca a fé quando as coisas estão ruins, tem quem perca fé na empolgação das alegrias, tem quem diga que não tem fé, tem quem busca a fé, tem que precisa de provas para acreditar, talvez na vida ora a gente vaga por algum desses caminhos, ou momentos, ou passe por todos eles, não acredito em qual é certo ou errado porque isso é muito pessoal, mas a vida me ensinou que a medida que ela te pressiona só há duas coisas a fazer: desacreditar de tudo, se lamentar, ou confiar que aja a tempestade que houver, venha o caos que for, tudo tem um propósito, e as contas sempre fecham, mesmo não precisando chegar ao final.
Aprendi a fortalecer a minha fé cada vez que fico diante de algo que por um momento pareça ser maior que eu, maior que tudo que passei, maior que tudo que vivi, e maior que todas as coisas que viverei, aprendi a não esquecer da fé diante dos momentos de vislumbramento, de empolgação, aprendi que tudo pode mudar, mas a força do seu interior, a confiança num bem maior, num plano maior, naquilo tudo que não conseguimos mensurar, explicar e que chamamos de Deus, faz com que você enfrente tudo, passe por tudo, e sobreviva a tudo.
A fé nos leva a lugares inimagináveis, nos leva a trajetos que jamais imaginamos percorrer, nos leva aos mesmos caminhos vistos de uma forma completamente diferente, nos faz enxergar pessoas que convivemos há anos com outro olhar... E faz entender que para quem tem fé não há espaço para insegurança, para dúvida, para temor, para esmurecer, ter fé é você seguir mesmo seu coração estando em pedaços, é você acordar mesmo não tendo forças para enfrentar aqueles momentos tão difíceis, é você encarar os monstros que na verdade são grandes oportunidades veladas aguardando você tirar as máscaras e ver que tudo não passava de mais uma lição que você iria executar e pensar: como consegui passar por isso?
Ter fé é não precisar ver, não precisar que te digam, não precisar que provem, é você ter coragem pra confiar, afinal quantas vezes confiamos da boca pra fora? Que tal começar a confiar de dentro pra fora... Quando você confia pequenas bobagens param de lhe atingir, problemas se tornam degraus para aquele caminho que você sente no seu íntimo que irá percorrer... E então dará o passo ou vai esperar que peguem na sua mão? Simplesmente confie! Pode ser que alguém já esteja a segurando sem você perceber...

(Carina Silva)

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

GENTE QUE FAZ A DIFERENÇA: NÔ DA ILHA

Estava eu hoje sentada num ponto de ônibus, perguntei as horas para um senhor, ele me respondeu, e então me perguntou: moça você vê YouTube? Eu disse que sim, e ele me entrega um papelzinho dobrado e diz: assiste esse vídeo, são duas moças, é uma música... aí perguntei se ele era o pai delas, ele me disse que não, que era vizinho... Brinquei: então é o amigo que faz a propaganda, que divulga, qual seu nome? E ele disse Nô da Ilha sou o compositor da música que elas estavam cantando... Não consegui mais conversar porque meu ônibus chegou, me despedi e vim refletindo sobre aquele gesto no caminho.
Eu de verdade não precisaria até então ver o vídeo, prestar atenção na letra da música pra saber se era boa ou ruim, pra ver o quanto aquela atitude fora fantástica, pensa na coragem dele em abordar um estranho e divulgar o seu trabalho? Precisou de muito? Não, apenas esse simples papelzinho, embalado de uma verdade e uma vontade de ver sua arte se espalhar por aí que foi contagiante. 
O Nô da Ilha tem realmente a alma de artista, a coragem, a atitude, de se expor, de correr o risco, de poder se passar por ridículo, ou de ser menosprezado, de superar uma possível timidez, ou um entrave qualquer, poderia ter ficado no seu mundinho, mas não lá estava ele batalhando, lutando por sua arte, por seu sonho.
E você quantas vezes meteu a cara e teve a mesma coragem que ele? Quantas vezes você deixou de se importar com o que os outros iriam pensar do seu gesto e foi lá e correu atrás?
O que eu desejo ao Nô é que o seu sonho seja realizado, que sua música se espalhe por aí, e que principalmente o seu gesto seja uma fonte de inspiração para muitos que esperam seus sonhos no quentinho de suas camas, de suas zonas de conforto, no comodismo de suas reclamações. 
Esse gesto é daqueles que pra mim faz a diferença, inspira, nos faz refletir, e se fez diferença no meu dia, espero que ao ler também faça ao seu.... 
E que tal junto comigo incentivar ele também?